SILÊNCIO
PRIM/VER 18





Conceito
Porque o silêncio é também uma forma de comunicarmos e pode ser uma maneira muito eficaz de nos manifestarmos.
Porque muitas vezes, convém mais que estejamos calados, como no tempo da ditadura.
Porque encontramos muitas respostas no meio do silêncio.
Porque o silêncio de muitos, fala mais do que mil palavras.
Porque o silêncio é mais elegante do que a verborreia de muitas pessoas. Porque o silêncio é inspirador.
Porque só existe som, música e palavras porque existe silêncio.
Porque o silêncio pode ser um grito de raiva, mas também um suspiro de amor. Porque o silêncio nos acalma quando receamos viver depressa de mais.
Porque quando estamos em silêncio podemos ser mais verdade.
Porque o silêncio é o lugar onde poderemos ouvir todas as vozes, incluindo a do coração.
Porque os olhos em silêncio dizem mais que uma boca barulhenta. E por isso muitas, vezes apetece dizer: Shiuuuuuuuu!

Detalhes
Peças que ao olharmos nos transmitem silêncio onde o principal investimento parece ser o pensamento.
Ombros exagerados, com recurso a ombreiras, levando nos para os anos 80s, revisitado.
Peças o mais depuradas quanto possível, onde os detalhes parecem ser pequenos ruídos no meio do silêncio. Formas direitas e/ou fluidas com barras e linhas que parecem representar palavras de ordem e gritos ouvidos aqui e além.
Linhas de cor que representam as ondas hertzianas e a batida cardíaca que se torna linear quando o coração se “cala”.
Godés, evasês, debruns Xl para rematar costuras, bainhas e que a dada altura se tornam elementos decorativos, criando riscas. Tiras unidas em determinados pontos, entrelaçadas, soltas que se transformam visualmente em riscas. Peças que se vão tornando ruidosas com excesso de elementos, sobretudo barras/riscas de cor.

Materiais
Seda, algodão, lã, viscose, acolchoados, neopren, napas elástica, viscose, fibras sintéticas, satins, marrocains, bombazine, jerseys, vinyl.

Parcerias
Calçado desfile – NOBRAND Cabelos – Helena Vaz Pereira, equipa Griffe Hair Style
Make up – Antónia Rosa, Naná Benjamim
︎︎︎