Aqui não se fazem arranjos como numa costureira tradicional. A ideia é outra: recuperar peças antigas, transformando-as em peças novas. Uma saia ou umas calças podem dar origem a um top, ou vice-versa. A partir de um acto criativo, a roupa pode ser radicalmente transformada numa peça diferente.

A reciclagem de roupa ou a criação por medida já não são novidade. Já toda a gente reconstruiu uma peça de roupa de que não gosta, que está fora de moda, que ficou manchada ou tem algum problema de conservação.

O factor novidade do Hospital da Roupa, e a mais-valia deste conceito, é o de oferecer aos clientes os serviços do atelier de um criador, com a sua linguagem estética e com o ADN da sua marca, transformando peças antigas em peças de autor. Depois de terem passado pelo Hospital da Roupa, ganham uma nova etiqueta – SOS Dino Alves –, que é colocada junto da etiqueta original.

SOS significa, neste caso, Serviços Operação Surpresa e é de certa forma uma maneira de fazer nascer uma segunda marca do universo Dino Alves, mais acessível e comercial. Uma colecção infinita, sem estação definida, porque as peças vão sendo criadas conforme a regularidade que os clientes recorrem a este serviço.


COMO FUNCIONA?

O primeiro contacto é estabelecido através de telefone, por e-mail, ou ainda através das redes sociais: instagram - Hospital da Roupa ou instagram - Dino Alves.

Um elemento da equipa do Atelier Dino Alves recebe os dados e marca o dia e a hora para a entrega e “internamento” das peças de roupa. Pode ser também tratado por envio CTT ou outra transportadora. O serviço funciona por marcação, uma vez que poderá não haver disponibilidade para um atendimento imediato.

No momento do “internamento” é preenchida uma ficha que identifica a(s) peça(s) e o cliente e onde constam os seus contactos e algumas observações que possam ser úteis na criação da nova peça. No entanto, é importante sublinhar que o conceito deste Serviço Operação Supresa implica que o cliente não saiba previamente em que é que se transformará a velha peça de roupa. Mas poderá saber se assim o entender.

Passados alguns dias, conforme o volume de trabalho existente, o cliente será informado sobre o orçamento aproximado. Esse orçamento terá sempre uma margem de erro de 10€ (dez euros), pois só o desenrolar do processo permitirá concluir com precisão se foi preciso investir mais tempo e materiais do que os inicialmente previstos.

Por fim, os clientes serão contactados para levantar a(s) peça(s) e proceder ao pagamento.


︎︎︎
antes—depois
︎︎︎